Natureza e Estrutura

A VII Escola do CBPF deverá contar com 15 cursos de graduação e mais outros 11 de pós-graduação, além de programas de divulgação e formação científica com escopo mais amplo, incluindo 5 palestras sendo duas específicas de Física, uma sobre a influência da Física sobre outras atividades científicas e uma outra sobre o nosso grande pintor Portinari. Haverá ainda uma oficina voltada para o grande público, na realidade para todos.

Os detalhes da programação podem ser encontrados nas seções seguintes. Para esta edição da Escola espera-se um total de cerca de trezentos participantes inscritos, de todas as partes do Brasil, além de outros (cerca de dez estudantes) vindos de demais países da América Latina, e mais cerca de trinta professores, monitores e conferencistas. As aulas de graduação estendem-se de 2a a 6a feira da primeira semana, com duas horas diárias para cada curso. As aulas de pós-graduação, também com duas horas diárias alocadas, estendem-se por duas semanas de modo a totalizarem as 16 horas, requisito da CAPES para a concessão de um crédito ao aluno.

Procura-se certamente um escopo abrangente de áreas a serem cobertas pelos cursos oferecidos, não havendo porém um objetivo de cotas pré-estabelecidas por área. Propõe-se como prioridade na escolha de cursos os critérios de relevância, abrangência e interdisciplinaridade, bem como as características de interesse e contemporaneidade dos tópicos abordados. Procura-se não repetir curso dado na última Escola, como também evitar o estilo "série de seminários". Os cursos devem ter no máximo dois professores. É fundamental que os alunos desenvolvam contatos pessoais duradouros com os professores. Aos professores, solicita-se a confecção de notas de aula para publicação posterior nos anais da Escola.

A programação nesta VII Escola, assim como nas Escolas anteriores, visou cobrir uma gama abrangente de áreas contemporâneas de pesquisa em física e atividades correlatas que estejam sob foco de atenção especial da comunidade científica nacional e internacional. Esta pluralidade de assuntos abordados faz da Escola uma oportunidade ímpar de atualização e alargamento de perspectivas por parte de seus participantes, além da oferta de um contato diário dos alunos com os professores dos diversos cursos, selecionados por sua especialização e atuação de destaque no assunto coberto. Tal diversidade promove um ambiente altamente motivador para discussões científicas, e invariavelmente atrai participantes de diversas regiões do Brasil e da América Latina, congregando interesses e formações acadêmicas bastante distintas.

Ao contrário da separação (muitas vezes natural) dos alunos de acordo com suas áreas de maior interesse, um dos objetivos principais da Escola é o de incentivar a interdisciplinaridade, promover a curiosidade e encorajar em todos uma visão ampla da atividade de pesquisa em física, reduzindo ao máximo as fronteiras ainda existentes por exemplo entre as atividades teóricas e experimentais. Cursos em alguma área específica devem ser pensados com a preocupação de atrair alunos de outras áreas, desencorajando assim a formação de nichos estanques em torno de interesses demasiadamente restritos.